Budismo e a sua cultura misteriosa

 Sempre acreditei que o Budismo era a melhor forma de encontrar quem você realmente é, e descobrir o caminho para a felicidade. Ainda acredito nisso, mas um lado de mim vê o quanto alguns templos budistas desrespeitam aqueles que não tem olhos puxados e descendência nipônica aparente.
 Não estou escrevendo isso para criticar a religião, só gostaria de fazer meu desabafo, então está dito não me julguem, esperei ser tratada de uma forma e recebi o pior dos tratamentos possível.

 Tudo começou em um sábado, quando eu e uma amiga decidimos meditar sobre nossas vidas conturbadas e confusas. Enquanto metade da população está procurando uma balada para beijar na boca queremos encontrar a iluminação e caminho para nossas vidas.
 Ao chegar ao local do Templo Busshinji mais conhecido como Zoto zen, estava acontecendo um Bazar de caridade, até então esse bazar não influenciaria em nossa busca pela iluminação, mas ali em algum canto da Liberdade percebi que fiéis retardados tem em qualquer lugar e, a iluminação é alcançada a partir de si mesmo.
 Antes de entrar no local perguntei ao rapaz que estava na porta distribuindo panfletos do evento:
 - Podemos entrar no templo?
Ele então respondeu:
- A entrada principal está fechada, mas tem um acesso a ele na parte interna.
 Agradeci e entrei. Fui até o bazar, olhei toda a movimentação de pessoas em volta das pequenas barraquinhas de bugigangas e produtos que não vão mudar a vida de ninguém. Coisas lindas, inúteis, mas extremamente caras sempre atraem os olhos de corações não iluminados - uma perfeita contradição, de um lugar, que supostamente deveria dizer aos seus seguidores, que o caminho da iluminação é alcançado entre o equilíbrio material e espiritual-
 Na vida precisamos dosar cada sentimento e não deixar que eles nós invada, como uma balança de supermercado na hora de pesar seus legumes. Ela não deve estar desregulada ou será considerado uma fraude ao consumidor.
 Pois bem, sobrevivemos ao local saímos sem gastar 01 real (uffa). Mas, ao nos dirigirmos para o templo, ouvimos a voz e vimos os olhares fulminantes de uma oriental:
 - Ai não é a saída!
 Pensamentos não sejam impuros, responda com sabedoria.
 - Sim, mas não podemos entrar no templo?
E a resposta foi seca, seguida de um dar de ombros.
- NÃO!
E lá se vão duas pessoas que queriam apenas meditar sobre suas vidas.
Pergunte-nos o que aprendemos com tudo isso e, eu lhes responderei com a seguinte frase:

 "Não existe iluminação em corações impuros, não existe a casa de Deus, Buda ou qualquer outro santo ou entidade, não está em um espaço cheio de mármore, ele está dentro de você."

Bem, é isso fui meditar no meu próprio quarto, valeu a pena o passeio, ele terminou em uma consulta com vidente oriental e um yakissoba pela metade que o chefe deve ter feito com todo carinho do mundo.
Mas, uma lição que aprendi: Casa de Deus é o Cara$%¨. Não visitem o Templo Busshinji a não ser que tenha um bazar para você torrar seu dinheiro em artigos fofinhos.

Até breve.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meat the Truth - Uma verdade mais que inconveniente

Enquanto Seus Lábios Ainda Estão Vermelhos