“Quem fala demais, dá 'bom dia' à cavalo”

Um simples relato do cotidiano de um bêbado
 
 São cinco e trinta da tarde, o expediente se encerra, mas não para um homem cheio de angústias e tristezas reprimidas. Para ele, a noite está apenas começando.
 Em meio a caminhada até o ponto de ônibus, ele passa por um 'boteco' que fará de sua vida algo mais aceitável. Após, alguns goles de bebida ele embarca no que para muitos é chamado de coletivo, mas que para ele é apenas mais um estágio de solidão e sofrimento.
 Sua maior companheira – a bebida – sua maior perdição – a solidão.
 Com o passar dos pontos, o que antes era um coletivo, torna-se uma lata de sardinha. Perdido, sozinho e sobre o efeito de sua companheira esse senhor de olhar triste, cai entre as pessoas, mostra sinais de que em breve seu dia acabará.
 As pessoas se incomodam, alguns riem outros observam com medo e aflição. Boa parte simplesmente ignora, não faz nada além de se preocupar com sua própria vida, em especial, com a janta e a novela das oito.
 Ninguém consegue sentir o sofrimento e a falta de fundamentos básicos na vida desse senhor: família, fé, amigos e saber. Fundamentos que existem, mas em pequenas quantidades, tornando assim, esse sobrevivente da vida moderna uma pessoa incompleta - será mesmo?.
 Por um breve momento ele se afasta de sua companheira, tem seu momento de lucidez e profere a seguinte frase “quem fala demais, dá 'bom dia' à cavalo”. Para muitos ele é considerado apenas um bêbado divagando sem sentido, mas para aqueles com um pouco de consciência, ele é um gênio em potencial.
 O barulho no coletivo é insuportável, mulheres falam da vida uma das outras, observam suas vestes e comentam sobre tudo aquilo que não se enquadra no padrão criado por elas. A hipocrisia reina na coletividade e por incrível que pareça mesmo embriagado esse bêbado consegue dizer o que na mente de muitos está claro – as pessoas precisam falar menos, ouvir, sentir e viver mais.
 Ele prova para todos que tem cultura e sabedoria. É uma pena que poucos possam ouvir de coração o que ele tem a dizer, para muitos a vida continuou sendo perseguir sua janta e a novela das oito. Para quem voz escreve, ele fez a diferença. Isso talvez deva-se, ao fato, de que não assisto à novela das oito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meat the Truth - Uma verdade mais que inconveniente

Enquanto Seus Lábios Ainda Estão Vermelhos