Procrastinar = deixar para mais tarde

"No Brasil as pessoas se sentem poderosas deixando tudo para a última hora, em geral não ficam culpadas por fazer isso" (Rachel Kerbauy em entrevista para a Folha de São Paulo)

 Segundo o levantamento efetuado, cerca de 33% dos profissionais brasileiros afirmaram gastar duas horas da jornada de trabalho com coisas irrelevantes e 52% admitiram deixar atividades necessárias para a última hora.
 Na matéria divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, do dia 30/08/11. O leitor foi envolvido em uma outra dimensão, capaz de acender a vontade de muitas pessoas e impulsioná-las para uma vida melhor.
  As especialistas Rachel Kerbauy ( psicologa), Rachel Ajzenberg.( psicanalista) e Christian Barbosa (especialista em gestão do tempo), uniram-se em um especial para desvendar a procrastinação- o famoso ato de deixar tudo para depois.
 Em plena era da tecnologia, onde todas as informações e conteúdo mudam continuamente. Fica completamente impossível manter-se engajado e não procrastinar.
 Segundo a psicanalista Rachel, os brasileiros tem o pessímo hábito de deixar tudo para depois devido ao fato de se sentirem poderosos nesse tipo de situação.
 Muitos brasileiros principalmente em ambientes empresariais costumam passar horas perdendo tempo com e-mails, power points e leituras desnecessárias. Quando cobrados de algum situação existe sempre a resposta na ponta da língua “estou cheio de trabalho”.
 Como forma de ajudar esse tipo de pessoa, o jornal divulgou dicas para quem tem esse hábito como parte de sua personalidade. Para conferir a matéria na integra clique aqui.
Se prefere apenas ler as partes mais interessantes, segue a baixo as recomendações dos especialistas.
Planejamento - Escreva quando, onde e como você fará o que precisa. Condicione uma ação à outra. Por exemplo: "Ao ligar o computador, vou trabalhar 20 minutos no relatório"
Dúvida - Questione suas desculpas para protelar. É melhor trabalhar após uma noite de sono ou você dormirá mal pensando no prazo e estará cansado no outro dia?
Descomplicação -Não enfeite seu objetivo, criando mais tarefas até poder realizá-lo. Se o seu problema é arrumar as roupas no armário, não invente de pintar as prateleiras antes.
Blindagem - Tire da frente todas as distrações: elimine atalhos de e-mails, jogos ou redes sociais da tela do computador; não deixe a geladeira cheia de doces se quer fazer uma dieta.
Barganha - A tarefa chata é o real, os benefícios só virão no futuro; crie'prêmios' para cada etapa finalizada. Simples bombom, para o cérebro, é uma recompensa imediata.
Flexibilidade - Se o planejamento não está dando certo, mude sem medo de fracasso. Trocar de estratégia não é adiar, só tome cuidado para não se tornar mais uma desculpa.
Motivação - Pense no que vai ganhar com a realização de suas ações e no que perde deixando para depois; defina objetivos
Organização do Tempo - Fracione o objetivo final em pequenas metas, as tarefas a cumprir; estabeleça prazos imediatos para concretizá-las.
Segurança - Reforce sua autoconfiança para atingir o seu objetivo no prazo, abastecendo-se de informações ou materiais que precisa para realizá-lo. Defina objetivos realistas, nem difíceis nem fáceis demais.
Autopreservação - Evite lidar ao mesmo tempo com várias situações que exijam muito autocontrole (começar o regime na semana em que deve se concentrar para prestar concurso)
Causas - Procure descobrir os motivos que levam você a protelar: medo de errar ou do sucesso, perfeccionismo. Um psicólogo pode ajudá-la a entender essas motivações

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meat the Truth - Uma verdade mais que inconveniente

Enquanto Seus Lábios Ainda Estão Vermelhos