Loucura e sanidade


Ismália
Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar…
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.
No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar…
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar…

E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar…
Estava perto do céu,
Estava longe do mar…
E como um anjo pendeu
As asas para voar…
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar…
As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par…
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar…
(Alphonsus de Guimarães) 

 Não é só por ser um poema bonito, mas tive uma ideia :D .
 O Poema “Ismália” de Alphonsus Henrique de Guimarães apesar de sugestionar uma solidão e tristeza profunda também consegue lembrar a pureza de alguns seres humanos.
Ismália desiludida com o amor resolve se por a cantar em uma torre para esquecer seus sofrimentos, ela passa admirar a lua, o céu e o mar.Após um tempo de admiração e loucura intensa, sua alma se parte. De uma maneira bonita, sem dor. Pensando apenas no prazer de se unir as coisas da qual ela imaginou serem puras e que durante seu tempo de solidão foram suas companheiras. Por esse motivo admiro tanto essa poesia, ela é muito simbolista, mas também muito reflexiva.
 O autor não foi uma das pessoas mais decididas e suas obras sempre remetiam seu estado de espírito, na minha opinião “Ismália” é toda a imagem do autor, apesar, dele ter sido casado sempre se sentiu só, pois foi tremendamente apaixonado por sua ex-noiva Constança, que morreu em meados de 1887 - acredito eu, que ele nunca tenha superado o sentimento de perda, mesmo tendo casado novamente em meados de 1897 e ter tido 15 filhos .
 Suas obras tem características religiosas, ele usa três fortes sentimentos como base, a morte, amor impossível, solidão e indagação do mundo.
 Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre suas obras de Alphonsus de Guimarães, segue uma pequena lista.

Principais Obras:
  • Sentenário das Dores de Nossa Senhora (1899, poesia)
  • Câmara Ardente (1899, poesia)
  • Dona Mística (1899, poesia)
  • Kyriale (1902, poesia)
  • Mendingos (1920, prosa)
  • Ismália (poesia)
Póstumas
  • Pastoral aos crentes do amor e da morte (1923, poesia)
  • Escada de Jacó
  • Pulvis
  • Salmos da noite
  • Poesias (1938).
  • Jesus eu sei que ela morreu, Viceja...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meat the Truth - Uma verdade mais que inconveniente

Enquanto Seus Lábios Ainda Estão Vermelhos