Os mistérios de uma Fênix e a beleza de uma Lótus!


 Reza a lenda que a Fênix é uma ave imortal, que quando está próxima de sua morte constrói um ninho na montanha mais alta. Nesse momento ela põe um ovo, e assim que sua cria nasce os galhos de canela com o calor do verão tendem a secar, e por assim dizer, pegar fogo - estranho? Talvez – mas o que se sabe é que a nova ave nasce e o ciclo de vida das Fênix continua.
 Além dos mistérios de como a Fênix consegue gerar o fogo, temos também o mistério de onde elas estão - você já viu uma Fênix? - poucas pessoas podem responder essa pergunta positivamente. A ave é quase que uma raridade.

Pois bem, vamos falar um pouco da tão maravilhosa flor de lótus.
 Lótus a flor cuja as raízes ficam cravadas na lama, que o caule cresce atravez das águas, e nessa metamorfose desabrocha perfumada de uma beleza inigualável a cada raio de sol.
 Ela é como a alma de cada indivíduo que mesmo nascido da lama consegue crescer, desenvolver e na primavera mostrar toda sua elegância.

 Agora vocês se perguntam por que lótus? Ela não é a única a crescer na lama!
 Sim, ela não é. Mas é a única capaz de subir até oito centímetros acima da superfície e encarar as adversidades do tempo.
 Os budistas acreditam que “o coração dos seres é como uma lótus fechada: quando as virtudes do Buda desenvolver neles, o loto ira florescer; é por isso que Buda sempre está representado em um lótus florescente.”

 A lótus me inspirou por ser uma metáfora budista, e poder ser ligada há metáfora utilizada pela Fênix.– Como?
 Simples, a lótus na cor vermelha, cor bem caracteristica da Fênix por ela morrer queimada em chamas. Significa a pureza do coração (hrdya) é a lotus de amor, compaixão, paixão e todas as qualidades do coração, é à flor de Avalokiteshvara o Bodhisattva da compaixão.
 Sou muito ligada ao sentimento, tenho uma necessidade excessiva de estar perto de pessoas, mesmo que seja para encher o saco...rsrsrs...e por transportar a necessidade que tenho de sair de uma suposta “lama”, que atualmente encaro como a necessidade de desenvolver meu intelecto e psicológico, para só então encontrar a “felicidade”.
 Por esse motivo bem simples me julgo uma pequena Fênix em busca de sua imortalidade, mas uma imortalidade que se dará pela compaixão pelas pessoas.
 E quem sabe no final dessa busca consiga elevar meu espírito a tal ponto, e encontre a pureza e a felicidade suprema. Se não conseguir morrerei mais feliz, pelo menos eu tentei.


Beijos
Pri Viotto

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meat the Truth - Uma verdade mais que inconveniente

Enquanto Seus Lábios Ainda Estão Vermelhos